Home Locais de cinemaBrasil Vassouras: do Café à Presença de Anita

Vassouras: do Café à Presença de Anita

by Jú Miyoshi | @movie.places
O que fazer em Vassouras

Recentemente eu e Roberto decidimos que iríamos começar a difundir o turismo cinematográfico no Brasil e uma das primeiras regiões que veio à minha cabeça foi o Vale do Café devido à sua importância histórica para o nosso país, não tive dúvida na escolha da cidade: Vassouras. Há tempos sonho com aquela pracinha que apareceu diversas vezes na minissérie global Presença de Anita, que diga-se de passagem marcou minha adolescência…

🌱 O Vale do café

A região do Vale do Café compreende 15 municípios do sul do estado do Rio de janeiro, dentre eles o de Vassouras, recebeu este nome devido a sua importância nos tempos áureos do café. Para terem uma ideia, em meados do século XIX o Brasil era o principal exportador mundial, sendo responsável por 75% da produção em todo o mundo. Ainda hoje somos um dos maiores produtores e exportadores de café, mas a concorrência está bem mais acirrada e o percentual caiu para cerca de um terço.

🌱 Um pouco sobre a história de Vassouras

A cidade de Vassouras nasceu através de uma Sesmaria, um instrumento jurídico português que normatizava a distribuição de terras destinadas à produção agrícola. Em 1782 foi realizada a doação da Sesmaria de Vassouras e Rio Bonito à Francisco Rodrigues Alves, tornando-o primeiro proprietário de terras na região. Francisco foi um dos primeiros a plantar café no Vale do Rio Paraíba do Sul, segundo Alexandre Joaquim de Siqueira, o primeiro historiador vassourense, em 1792 ele já cultivava o fruto para o uso da família.

Em 29 de Setembro de 1857 Vassouras recebe o título de cidade, com a alta cotação do café no mercado internacional os produtores rapidamente fazem fortunas e mudam completamente seus padrões de vida, construindo imponentes palácios em suas fazendas. Ainda no sécuo XIX a cidade viveu seu apogeu recebendo o título de “Princezinha do Café” , ficando também conhecida como a “Cidade dos Barões” devido a quantidade de títulos concedidos aos seus fazendeiros.

Escravizados trabalhando na região do Vale do Café
Fotografia de 1882 com escravizados trabalhando na região do Vale do Café.
Instituto Moreira Salles.

Jamais devemos nos esquecer que toda essa pompa foi construída sob muito trabalho de pessoas que foram escravizadas, acredita-se que Vassouras foi a região com o maior número de escravizados no Brasil, detendo quase 60% desta população de acordo com o Censo em 1872.

Origem do nome

Desde a primeira vez que ouvi o nome da cidade fiquei imaginando os possíveis motivos para ela se chamar assim, nas minhas hipóteses estavam por exemplo, ela ser uma grande produtora de Vassouras!!
Então, antes de visitá-la fui pesquisar a respeito e descobri que quase acertei, na verdade, o nome está associado a um arbusto muito utilizado para confecção deste importante utensílio doméstico, ele é abundante na região e pertencente à família das escrofularíneas.

De acordo com o último senso realizado em 2010, Vassouras tem um pouco mais de 34 mil habitantes e atualmente tem sua economia baseada na agropecuária.

🌱 O que fazer em Vassouras

  • Conhecer seu Centro histórico

Vassouras é uma cidade muito bonita, com ar bucólico, rica em história e com temperatura agradável praticamente todo o ano. No centro fica a sua atração mais famosa, a praça Barão de Campo Belo com a igreja de Nossa Senhora da Conceição fundada em 1828 (capela) a pedido do Barão de Ayuruoca.

Praça Barão de Campo Belo - Centro histórico de Vassouras.
Praça Barão de Campo Belo – Centro histórico de Vassouras.

Nós consideramos esta praça uma das mais bonitas e bem cuidadas que já visitamos, vale a pena comprar uma pipoca, sentar para observar as crianças brincando. Logo atrás da igreja tem uma outra praça, a Sebastião Lacerda (avô do jornalista e político Carlos Lacerda). Na sua lateral há um conjunto de 16 figueiras centenárias e a casa da Família Leite de Carvalho, conhecida como a Casa das 14 Janelas.

Praça Sebastião Lacerda em Vassouras.
Dizem que se você abraçar uma destas figueiras e fizer um pedido, ele irá se realizar, mas só descobrimos isso depois que já estávamos indo embora…

O conjunto urbanístico e paisagístico de Vassouras foi tombado pelo IPHAN em 1958, o eixo do Centro Histórico fica na Rua Barão de Vassouras. Ainda no centro uma atração imperdível é o museu Casa da Hera, onde viveu Joaquim José Teixeira Leite, um comissário do café.

Museu Casa da Hera em Vassouras
Museu Casa da Hera – uma parada obrigatória para os amantes de história.

O comissário teve duas filhas, e a mais nova, Eufrásia Teixeira Leite teve uma vida atípica para mulheres do seu tempo. Após a morte dos pais, ela e sua irmã Francisca partem para Paris, de onde administram toda a fortuna da família, cerca de 5% do PIB nacional, o que a garantia o título de mais rica do país. Na partida, ainda no navio, Eufrásia conhece Joaquim Nabuco, eles viriam a se relacionar por cerca de 14 anos, vindo a romper porque Eufrásia não queria se casar. Em Paris, ela torna-se a primeira mulher brasileira a investir em bolsas de valores, anos mais tarde com o falecimento da irmã, passa a ser a única herdeira, ela aumenta consideravelmente o patrimônio da família através de suas ações.
Ao falecer em 1930, deixa registrado em seu testamento a doação de seus bens pata obras de caridade, como construção de escolas, hospital e manutenção da casa onde nasceu, a Casa da Hera.

Eufrásia Teixeira Leite Vassouras
Eufrásia era uma mulher à frente do seu tempo, estudava sobre finanças, mantinha o cabelo curto e usava decotes.

O museu fica aberto diariamente e é gratuito, nele é possível conhecer uma casa urbana com mobiliários típicos do século XIX.

No centro histórico fica também o Museu do Trem, onde era a estação de Vassouras, inaugurada em 30 de março de 1914 pelo então presidente, Marechal Hermes da Fonseca. A estação funcionou até 1970 e era muito importante para a região, pois era onde chegavam ou partiam os barões do café, o embarque e desembarque eram feitos na gare da Leopoldina, na Avenida Francisco Bicalho.

Vassouras – Museu do Trem.
  • Visitar uma fazenda de Café

Certamente uma das experiências mais procuradas pelos turistas é conhecer uma legítima Fazenda do Vale do Café. Nós optamos por conhecer a Cachoeira Grande e fomos atendidos desde os primeiros contatos com muita gentileza por Ricardo, filho da proprietária (Núbia), ele não só se mostrou muito solicito, como nos ajudou com informações históricas, dicas gastronômicas e passeios na região.

Fazenda Cachoeira Grande em Vassouras.
Fazenda Cachoeira Grande – Vista panorâmica.

A fazenda foi restaurada e hoje conta com visitações guidadas (mediante agendamento prévio) e mantém muito bem preservado objetos de época, e também com aquisições de itens de grande valor histórico. Em 1884, a Princesa Isabel e o Conde D`Eu passavam pela cidade de Vassouras e foram recepcionados com um jantar na Fazenda Cachoeira Grande pela filha do Barão de Vassouras, Maria Esméria Teixeira.

Tour Fazenda Cachoeira Grande em Vassouras.
Fazenda Cachoeira Grande – Entrada da casa principal.

Atualmente é possível se hospedar na Fazenda Cachoeira Grande, mas não na casa principal, eles têm um chalé privativo, que proporciona uma experiência exclusiva.

Fazenda Cachoeira Grande - Casa principal.
Fazenda Cachoeira Grande – Casa principal.

Ricardo é um grande apaixonado por carros e ao final do tour pela fazenda você pode optar por conhecer carros históricos e descobrir curiosidades incríveis do mundo automobilístico. Recomendo que não deixe de reservar essa atração, porque é contagiante ver a forma como ele conta a história dos carros.

Fazenda Cachoeira Grande – visita ao museu de carros antigos e carruagens.
  • Viver uma experiência gastronômica

Quando chegamos já era tarde e decidimos ir a pracinha para comermos algo rápido, felizmente não faltaram opções, de food trucks a restaurantes.
De frente para a Praça, na rua Barão de Vassouras fica um shopping que recebe o nome de Casario, que se assemelha mais a uma galeria, nele há boa comida e bares com música ao vivo (pelo menos aos finais de semana).

A nossa maior surpresa ficou por conta do Bistrô Casa do Lago, uma verdadeira pérola escondida numa estradinha de terra no bairro de Monte Alegre, o local é bem perto do centro de Vassouras, mas alguns turistas podem ficar temerosos devido ao acesso. Nossa dica: não desista, se seguir em frente não irá se arrepender!

Bistrô Casa do Lago em Vassouras.
Bistrô Casa do Lago – uma pérola de Vassouras!

O clima na Casa do Lago é aconchegante e muito acolhedor, a decoração é rústica, mas com toques de sofisticação. Agora vamos ao que interessa, a comida…ah, essa é simplesmente divina! Pedimos risoto, eu de cogumelos e Roberto de Brie com damasco e ficamos impressionados tanto com o sabor, quanto com a montagem dos pratos. Tudo muito bem pensando para lhe proporcionar uma verdadeira experiência gastronômica.

Bistrô Casa do Lago em Vassouras.
Bistrô Casa do Lago – menu extremamente bem elaborado.

Em funcionamento há pouco mais de 3 anos, Rachel, uma das proprietárias, já convidou alguns chefes renomados para jantares especiais, hoje o bistrô familiar conta com uma chefe da região que prepara tudo com muito carinho.

Bistrô Casa do Lago em Vassouras.
Bistrô Casa do Lago – Excelente carta de vinhos.

Presença de Anita

Em 2014 saiu uma notícia especulando uma sequencia da minissérie global Presença de Anita que fez grande sucesso no ano de 2001. Infelizmente Manoel Carlos não confirmou o projeto que seria a respeito da vida da Anita adulta. Mesmo achando meio sem sentido, afinal na série ela morria, até fiquei animada na época, porque realmente amei a obra, que inclusive na minha opinião está entre as melhores já produzidas pela rede Globo.

Muitos não sabem, mas a ideia da trama não saiu totalmente da cabeça de Maneco, a história foi inspirada no livro homônimo de Mário Donato publicado pela primeira vez em 1948 no qual também serviu de inspiração para a novela A Outra Face de Anita de Ivani Ribeiro, exibida em 1964 pela TV Excelsior, além de ter tido uma adaptação para o cinema, em 1951. Manoel Carlos criou novos personagens, eliminou alguns e desenvolveu tramas paralelas para enriquecer a história.

Cenários de Presença de Anita em Vassouras
Rede Globo: Foto (Reprodução).

Cenários de Presença de Anita em Vassouras

A trama girava basicamente em torno do trio Anita, Nando e Lúcia Helena. Nando (José Mayer) era casado com Lúcia Helena (Helena Rinaldi).
Certo dia o casal decide passar um tempo na cidade de Florença (nome fictício) que ficava no interior de São Paulo, para dar novos ares ao relacionamento já desgastado. Mas o invés de encontrarem a tão desejada paz, eles encontram Anita, uma jovem extremamente atraente e misteriosa que se entranha no seio familiar através de uma amizade com a filha deles, Luísa (Júlia Almeida). A atração entre Nando e Anita é praticamente instantânea e eles passam a viver um tórrido romance.

Rede Globo: Foto (Reprodução).

Diversas cenas da série foram gravadas na praça Barão de Campo Belo, onde Anita frequentemente se encontrava com Luisa. Foi também nesta praça que acontece o trágico final de Zezinho (Leonardo Migiorin), ele morre atropelado ao ser perseguido pela população enfurecida pelo assassinato de Anita, quando na verdade o assassino era o Nando.

Sobradinho de Anita em Presença de Anita.
Rede Globo: Foto (Reprodução).

Na época o que mais me atraiu na série foi a complexidade da personagem Anita, havia uma dualidade em seu comportamento que deixava o telespectador horas apaixonado por ela e em seguida com ódio. Ela era madura para a pouca idade, falava frases de efeitos como a famosa; “Nada é coincidência, tudo está escrito!”, mas também tinha momentos infantis marcados por birras. Para complicar ainda mais, entra na trama o personagem Zezinho (Leonardo Migiorin) que se apaixona pela moça e morre de ciúmes dela com Nando. Obviamente a história não tem como ter um final feliz, uma verdadeira tragédia acontece no sobradinho onde Anita vivia, que por sinal foi criado exclusivamente para a minissérie.

Sobradinho de Anita em Vassouras
Sobradinho de Anita – desconfio que a equipe de cenografia tenha buscado inspiração na Casa da Hera.

Rede Globo: Foto (Reprodução).

Onde se hospedar em Vassouras

Vassouras ainda não é um destino muito popular entre os turistas, portanto não espere por diversas opções de hospedagem, entretanto não há motivo para se preocupar, porque bem no centro da cidade fica o hotel Santa Amália que conta com uma infra-estrutura completa de lazer e um excelente atendimento.

Nós fomos em família e aproveitamos muito com o nosso filho de 3 anos. Theo amou o parquinho, as piscinas (no hotel há 3, uma de criança, outra de adulto e ainda uma coberta – com água aquecida).

Hotel Santa Amália – Theo se divertindo na piscina aquecida!

Os jardins são muito bem cuidados, há uma linda gruta com a imagem de Jesus Cristo. O hotel passou recentemente por reformas e superou nossas expectativas.

Hotel Santa Amalia em Vassouras.
Hotel Santa Amália – Jardins muito bem cuidados.

Na parte interna, a decoração tem um ar vintage (amo!).

Hotel Santa Amalia em Vassouras.
Hotel Santa Amália – Decoração vintage.


O café da manhã é servido num grande salão que nos remete à casas de fazenda, tudo servido com muito capricho e bem saboroso.

Hotel Santa Amalia em Vassouras.
Hotel Santa Amália
Hotel Santa Amália – Detalhe da decoração.

Espero que tenham gostado do nosso roteiro, nós amamos Vassouras e pretendemos retornar em breve!

Quer saber um pouco mais sobre a gente? 
Nos acompanhe nas redes sociais: @movie.places (Instagram)facebook/movieplacesoficial; youtube.com/movieplaces

You may also like

4 comments

WANDERLEY PERES 28 de fevereiro de 2020 - 14:00

Bom texto, de fácil leitura e compreensão. Uma viagem virtual, que provoca a vontade de viajar. Valeu.

Reply
Jú Miyoshi | @movie.places 2 de março de 2020 - 15:14

Muito obrigada! Em breve teremos um da nossa querida Teresópolis! ❤️

Reply
Nathalie 30 de junho de 2020 - 01:11

Que incrível! Quero muito conhecer essa cidade por causa de Presença de Anita! Sou apaixonada por aquela minissérie! Louca para conhecer a famosa pracinha da série! Mas é uma pena saber que o Sobradinho “não é de verdade”. Achei que era algum imóvel da cidade mesmo… enfim, adorei sua experiência!

Reply
Jú Miyoshi | @movie.places 30 de junho de 2020 - 15:28

Ah que leal saber que tem outro alguém que também tem essa vontade de conhecer a cidade por conta da série. Eu me surpreendi, amei Vassouras e já penso em retornar em breve.

Reply

Leave a Comment