Home Europa O que fazer em Chamonix-Mont-Blanc fora da alta temporada

O que fazer em Chamonix-Mont-Blanc fora da alta temporada

by Jú Miyoshi | @movie.places

Se você é brasileiro e está em Paris, os Alpes pode parecer distante e pouco acessível, se a escolha for por uma viagem rápida, dificilmente essa região será a escolhida, em contrapartida, para o turista europeu os Alpes são um destino mais que certo. Já descrevemos a nossa experiência inesquecível em Annecy, na qual amamos desde o momento em que descemos na estação. Agora vem conosco descobrir o que fazer em Chamonix-Mont-Blanc fora da alta temporada.

Chamonix-Mont-Blanc

Localizada aos pés do Mont Blanc, bem na fronteira entre França, Suíça e Itália, Chamonix é uma cidade na montanha que combina, conforto com tradição e autenticidade de um vale alpino. Seu panorama incomparável no Maciço do Mont-Blanc seduzem os amantes da natureza e os convida a experiências inesquecíveis para descobrir paisagens de montanhas cobertas de neve.

No passado, Chamonix foi ponto de partida para os corajosos desbravadores da montanha, hoje, os turistas a acessam o Aiguille du Midi pelo teleférico considerado o mais alto da Europa (altitude 3842 m). Outro passeio tradicional é percorrer a ferrovia de Montenvers no charmoso trenzinho vermelho rumo a geleira Mer-de-Glace, a segunda maior dos Alpes.

História

Quando unimos o prazer de viajar ao prazer do conhecimento formamos o casamento perfeito, por isso, sempre que viajamos procuramos estudar a respeito da história, dos costumes, cultura e curiosidades do local e de seus moradores.

Chamonix, nem sempre teve este nome, antigamente era conhecida apenas por Chamouni. Em 1741 os ingleses William Windham e Richard Pocock chegaram a este povoado e confirmaram as histórias sobre um povo que vivia nas montanhas com seus glaciares que se estendiam por grande parte da Europa. Podemos quase afirmar que aí começara o turismo rumo aos Alpes Franceses. Inicialmente formado principalmente por ingleses, que viajavam milhares de quilômetros para admirar o misterioso mar de gelo, o turismo foi aumentando até que em 1770 o primeiro albergue abriu suas portas. Hoje a cidade conta com diversas opções de hospedagem que vão desde hotéis cinco estrelas a Bed & Breakfast.

Outro marco para a região ocorreu em 1786 quando Jacques Balmat e Michel Gabriel Paccard conquistaram o Mont Blanc, a mais alta montanha dos alpes, entretanto, somente em 1916 este seria incorporado ao nome da cidade. Em 1924 a cidade sediou a primeira edição dos Jogos Olímpicos de Inverno, o que a consolidou como destino turístico internacional. Foi nesta mesma época que a cidade passou por um grande desenvolvimento, com a construção de seus célebres teleféricos.

Primeira Olipíada de Inverno - Chamonix-Mont-Blanc

Primeira Olipíada de Inverno – patinação artística com roupas bem mais discretas que as de hoje em dia
Primeira Olipíada de Inverno - Chamonix-Mont-Blanc

Primeira Olipíada de Inverno – elegância e charme sobre o gelo

Durante a Segunda Guerra Mundial, Chamonix era um importante posto de fronteira para os alemães e estava sob ocupação até agosto de 1944. A resistência francesa conseguiu libertar a cidade através de um dos planos mais elaborados da guerra, que envolveu a destruição do teleférico que levava ao Mont Frety. Persistência, astúcia e resistência eram qualidades destes bravos homens que lutaram com seus esquis de madeira e morreram em nome da liberdade de suas montanhas.

Chamonix-Mont-Blanc na Segunda Guerra Mundial

Chamonix na Segunda Guerra Mundial – franceses observando o vale de Aosta, ocupado pelos alemães

Chamonix-Mont-Blanc na Segunda Guerra Mundial

Chamonix na Segunda Guerra Mundial – Posição da metralhadora no Mer de Glace

Rumo a Chamonix

Nós chegamos aos Alpes vindo de Paris, onde pegamos um TGV para Annecy. Ficamos nesta charmosa cidade por dois dias e então partimos rumo a Chamonix de ônibus. Tivemos a felicidade de conhecer a OuiBus, braço rodoviário low cost da SNCF, Ouigo, com tarifas bem acessíveis. Nossa viagem ficou por apenas 10 euros para cada um, com duração de 01:40h. Pegamos o ônibus na rodoviária de Annecy e descemos na de Chamonix. Ambas localizadas em regiões bem centrais. Optamos por irmos de ônibus por ser um meio econômico e cômodo. No trajeto pudemos admirar tranquilamente as paisagens de campos verdinhos cercados por belíssimas montanhas parcialmente cobertas de neve.

Chamonix-Mont-Blanc

Início da viagem – campos verdes e ao fundo o que nos esperava: lindas montanhas parcialmente cobertas por gelo
Chamonix-Mont-Blanc

Paisagem de outono – seus olhos são brindados com o verde ainda presente e com as montanhas ainda não totalmente cobertas por gelo

Chegando a Chamonix-Mont-Blanc

A sensação que tivemos ao chegar em Chamonix foi de acolhimento, de cidadezinha do interior, que mesmo com o frio de 3 graus tinha um clima de aconchego. Curiosamente, de todas as sensações possíveis essa era uma das únicas que não esperávamos, uma vez que a cidade é destino da alta nata da sociedade francesa por possuir uma das estações de esqui mais famosas da França. Esperávamos encontrar a cidade cheia de pessoas elegantes, homens e mulheres vestidos com roupas chiquérrimas, outras prontas para praticar esportes de inverno. Estávamos enganados. Para começar em novembro as principais atrações da cidade estão fechadas, isso mesmo, fechadas! E o motivo é óbvio: atrações como o teleférico de Brévent e Grotte de Glace fecham para manutenção justamente para se prepararem para a alta temporada que começa em dezembro, onde a cidade recebe milhares de turistas.

Chamonix-Mont-Blanc Aguille de Midi

Aguille de Midi – ponto de partida sem filas e sem atração

Você deve estar se perguntando, então não tem nada para fazer em Chamonix fora da alta temporada? Claro que tem. Obviamente se o seu intuito for unicamente o de esquiar será um tanto quanto frustrante, porém, no nosso caso já sabíamos que a maioria das atrações estariam fechadas e mesmo assim decidimos arriscar e tivemos uma estadia maravilhosa.


Pouca neve – quem não está acostumado com neve vê diversão em tudo

Chamonix-Mont-Blanc

Figurino – sem neve é possível manter o figurino normal, mas não recomendamos sapato social, experiência própria, o escorregão é certo

O que fazer em Chamonix-Mont-Blanc fora da alta temporada

Conhecer o Mer de Glace estava entre os passeios que queríamos fazer e que felizmente estava sendo realizado normalmente, então, assim que chegamos deixamos nossas malas no hotel e partimos para pegar o famoso trenzinho vermelho. Ao chegarmos na estação, o trem já estava prestes a partir e como não havia ninguém à nossa frente embarcamos rapidamente. Uma das vantagens de ir fora da alta temporada é não enfrentar filas, e para quem não gosta delas esta é uma vantagem e tanto.

Mer de Glace Chamonix-Mont-Blanc

Embarque rumo ao Mer de Glace – Pausa para foto na frente do trenzinho

De imediato achamos o valor do passeio meio salgado, 31 euros para cada um, porém à medida que o trem avançava e as paisagens exuberantes das montanhas iam se abrindo a nossa frente, esquecemos rapidamente do valor e nos sentimos maravilhados por estarmos ali. Vale lembrar que se você é uma pessoa que tem medo de altura pode se sentir um pouco incomodado, mas não tem muito como escapar, afinal, o destino são os Alpes e na alta temporada a maioria dos passeios são nas alturas, como o Aiguille du Midi – Step into the Void, aquele da caixa de vidro que deve dar a sensação que se está flutuando.

Mer de Glace Chamonix-Mont-Blanc

Vista da janela – Chamonix-Mont-Blanc ao fundo
Chamonix-Mont-Blanc

O passeio dura cerca de uma hora, tempo suficiente para desfrutar a vista tomando um chocolate quente.

Mer de Glace Chamonix-Mont-Blanc

Mer de Glace 
Chamonix-Mont-Blanc

Mer de Glace

Ainda no Mer de Glace há uma lojinha de souvenirs e um café, onde você pode se refugiar do frio.

O hotel

Nos hospedamos no Le Morgane, um hotel boutique de 4 estrelas. Nós gostamos muito deste do hotel, do seu ambiente intimista. Ficamos em um quarto com vista para as montanhas. Era simplesmente maravilhoso acordar e poder ir até o deck desfrutar daquela paisagem fantástica.

O Le Morgane disponibiliza bicicletas para seus hóspedes e é muito conhecido por ter um dos melhores restaurantes da cidade.

 Le Morgane Chamonix-Mont-Blanc

Hotel Le Morgane – vista do quarto

Hotel Le Morgane – localização central + conforto
Le Morgane Chamonix-Mont-Blanc

Temperatura ideal – o vinho nem precisa ir para a geladeira

A cidade

Com as principais atrações fechadas, o jeito foi nos dedicarmos a conhecer cada cantinho da cidade.
Sentimos um imenso prazer em caminhar tranquilamente pelas ruazinhas. Paramos diversas vezes para tomarmos chocolate quente. Também pudemos ver calmamente as lojas, escolher lembrancinhas. Dentre estas lojas, conhecemos uma muito especial, com artesanatos da região, a dona é uma senhorinha muito fofa, que não fala inglês, mas sua neta foi muito educada e nos ajudou com as compras. O nome é Ateliê de Tournage Sur Bois e fica próximo a igreja, praticamente ao lado do Café La Pointier.

Chamonix-Mont-Blanc

Interior do Atelier – peças únicas, um verdadeiro achado para quem busca um souvenir especial

Por falarmos na igreja, seu patrono é Saint Michel, fica na principal praça da cidade onde também estão a prefeitura e o serviço de atendimento ao turista. A igreja foi construída no ano de 1099, mas ao longo dos anos enfrentou 2 incêndios, um em 1572 e outro em 1758. A restauração de sua fachada foi concluída somente em 1864.

Leia também: Como é se hospedar dentro do Mont Saint-Michel

Chamonix-Mont-Blanc

Igreja Saint Michel – Arquitetura simples, mas marcante
Chamonix-Mont-Blanc

Saint Michel – Detalhe do altar

Ao sairmos da igreja nos deparamos com algo que amamos: um cinema, cujo o nome é Le Vox. Cinemas de rua são famosos na Europa e resistem ao tempo, este que encontramos era bem pequeno e havia uma grande fila para comprar ingressos. Em exibição estava desde filmes nacionais a blockbusters americanos como A Liga da Justiça. Até pensamos em pegarmos uma sessão, mas desanimamos, pois gostaríamos de ver um filme nacional, mas como não falamos o idioma não iríamos entender nada, mas fica aí o projeto para começarmos a estudar.

Chamonix-Mont-Blanc

Le Vox – Clássico cinema Europeu de rua

Voltamos a rua principal e admiramos mais e mais a cidade e a paisagem linda que a cerca, tiramos inúmeras fotos, inclusive de nossa ovelhinha que nos acompanha nas nossas viagens.

Chamonix-Mont-Blanc

Ovelhinha around the world – posando toda metida com as montanhas ao fundo
Chamonix-Mont-Blanc

Montagem…só que não – A paisagem é tão bonita que até parece uma montagem
Chamonix-Mont-Blanc

Nós gostaríamos de dar alguma dica de restaurante, mas acreditem, entramos num supermercado e ficamos horas, compramos tantas coisas, dentre elas, vinhos, queijos e chocolates que ao voltarmos para o hotel começamos a beliscar e perdemos a fome. Agora se você é apaixonado por chocolates, compras no supermercado de Chamonix é a nossa super dica, pois os preços são excelentes.

Para fechar a noite fomos pedalar, afinal nada melhor para queimar as calorias adquiridas com a ingestão de várias barras de chocolate.

No dia seguinte partimos bem cedo, mas desta vez nos despedindo da França e rumo à Alemanha, mas nada de tristeza, pois a França em breve voltaria para o nosso roteiro. Partimos numa madrugada gelada e com a rodoviária vazia, mas com o coração cheio de alegria por termos tido uma excelente estadia.

Chamonix-Mont-Blanc

Passeio de Bike – Ideal para queimar calorias
Chamonix-Mont-Blanc

Leia também: Annecy – A pequena Veneza dos Alpes e seu festival de cinema

Ficou com gostinho de quero mais? Assista ao nosso vídeo e surpreenda-se com as paisagens exuberantes. Já conhece a cidade? Então, aproveite para matar a saudade!

Assine A Nossa Newsletter Para Receber Novidades, Dicas & Promoções! 

[contact-form-7 404 "Não encontrado"]

Quer saber um pouco mais sobre a gente? 
Nos acompanhe nas redes sociais: @movie.places (Instagram)facebook/movieplacesoficial;
 youtube.com/movieplaces

You may also like

Leave a Comment